Translate

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Retrospectiva Jornal do Almoço-RBS TV 2011



Reportagem publicada hoje, 28 de Dezembro de 2011, na RBS TV Missões, sobre as matérias de destaque regional.
Passam os dias e o monumento ao Mestre da Pajada continua iluminado, porém no escuro...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

India Missioneira na forma de Justiça




Justiça Missioneira-Vinícius Ribeiro escultor.
Matéria publicada hoje na RBS TV, Jornal do Almoço Região Noroeste-Santa Rosa.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Turnê pela Timbaúva

 Fomos, semana passada, na velha Timbaúva, mais precisamente no 2º lar do mestre da Pajada Jayme Caetano Braun, na fazenda da família Ramos.
Antiga propriedade do sr. Danton Ramos hoje conduzida pelo sr. Juca Ramos(filho do sr. Danton e primo-irmão do Jayme). 




Naqueles corredores com quase um século de existencia passamos em silêncio quase místico...

Que lugar encantador...
É como entrar numa dobra do tempo e voltar ao antigo Rio Grande.
Devido ao solo ser de pura pedra, com os campos chamados "Finos"a vegetação continua intacta, como a milênios, pois o progresso na forma de trator e colheitadeiras não chegou e nem chegará.

Lá Jayme conviveu por muitos anos, perto dali ele nasceu, na fazenda do seu avô materno Aníbal Caetano( clique aqui e veja mais sobre a genealogia dele:http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com/2008/05/breve-histrico-de-jayme-caetano-braun.html   e aqui  http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com/2009/09/reverenciando-os-velhos-troncos.html ). 
Dá para compreender a força e beleza de seus versos, pois o local inspira para isso.
Fomos recepcionados pelo seu Juca e Dona Cláudia, tratados como lordes, nem preciso dizer o quão magnífico estava o almoço e as guloseimas.
Uma ovelha da Timbaúva tem o seu valor...








terça-feira, 29 de novembro de 2011

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Janelas da Liberdade

 

Video/montagem ao som da belíssima música do mestre Pedro Ortaça, com letra do Jorge Enio Pinto dos Santos, presidente da OAB São Luiz Gonzaga.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Justiça Inaugurada






  
 
Hoje, dia 25 de Novembro de 2011, às 15h00min foi inaugurado o novo Fórum de São Luiz Gonzaga e junto do cerimonial ocorreu à inauguração da escultura: Justiça Missioneira.
 













Raro caso onde um Fórum possui uma escultura em sua frente, ainda mais uma escultura única carregada de simbolismos... 






 
















A idéia surgiu em 2009, após o presidente do Fórum da comarca de São Luiz Gonzaga, Juiz Luis Antônio de Abreu Johnsons, solicitar-me uma das minhas estatuetas, da série:"Indias Missioneiras"(lindas por sinal, modéstia a parte) para regalar a magistrados superiores. 
Pensei em algo diferente e único, a fim de divulgar nossa terra, nossa rica história. Surgiu a "Justiça Missioneira".
 



Tem na sua mão esquerda a balança, com o fiel no centro e na mão direita a lança(ao invés da espada) em posição de espera, sem ser agressiva, mas não menos atenta.
Usa venda nos olhos, enfatizando dessa maneira a necessária imparcialidade.
Tem uma pena na cabeça, representando a primeira de todas as deusas da Justiça: a egípcia Maat e sinalizando a herança Guarany. 

Veste o Tipoy, roupa que as índias vestiam nas reduções missioneiras; e como lembrança de suas raízes, o atado nas pernas, chamado tetymakuá(feito do cabelo trançado da menina Guarany após sua primeira menstruação).
No pescoço um colar com presas de jaguaretê, demonstrando sua bravura. 
Para saber mais sobre a origem da deusa da Justiça, nas suas versões Egípcia, Grega e Romana, favor ler o seguite texto que fiz:
Acredito que esta escultura enaltecerá a Justiça na nossa terra, pois representa a seriedade, a valentia e determinação de todos aqueles que nela trabalham.
 
Está obra, que encontra-se belamente fixada na entrada do novo Fórum da comarca de São Luiz Gonzaga, além do apoio do Juiz Johnsons, teve total aceitação dos nossos magistrados são-luizenses, Juiza Gabriela Dantas Bobsin, Juiz André de Oliveira Pires e do Juiz Alan Peixoto de Oliveira.
Destaco a participação importantíssima do presidente da OAB de São Luiz Gonzaga, sr. Jorge Enio Pinto dos Santos
Por também ter alma de artista(parceiro de letras do Mestre Pedro Ortaça) Jorge Enio compreende a importância e a força das Artes, é um batalhador pela cultura da nossa cidade.






A obra foi muito bem aceita, com elogios diretos do Desembargador Léo Lima, Presidente do Tribunal de Justiça do estado do Rio Grande do Sul. 



Representa a Força e o Equilíbrio Justo e Verdadeiro em todas as ações!




A escultura foi confeccionada manualmente em concreto armado, com dois metros de altura e com 950 kg de peso. 
Apresenta uma pintura especial resistente ao tempo, imitando fielmente ao bronze.
















segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Maquete do Tiro de Laço




Diz o sábio que não é prudente falar o que vamos fazer, nem tampouco nos vangloriarmos pelo que fizemos, salvo se formos questionados a falar...
Atendendo ao pedido do Sr. Alceu Adelar Hoffmann, tradicionalista de Caxias do Sul-RS, divulgo aqui a maquete referente à prática do "Tiro de Laço"


De acordo com as informações do Alceu: "O Tiro de laço surgiu na Cidade de Esmeralda RS no dia 14/11/1951, sendo que foi criado por uma dezena de Fazendeiros da região, tendo como idealizador o Senhor Alfredo Jose dos Santos, considerado o pai do Tiro de Laço. 
Tudo começou por uma disputa por um time de futebol da época, o qual fizeram apostas e pediram para que seu Alfredo escutasse no radinho de pilha a dita partida de futebol.
O mesmo se recusou e disse que disputaria num tiro de laço com um novilha xucra saindo de uma mangueira. 
Formaram duas duplas e na data acima fizeram o primeiro o tiro de laço. (Ler mais no Livro Tiro de Laço de Edivar Francisco Appio). 
O  cavaleiro que fara parte do monumento será uma réplica do seu Alfredo".  

O tamanho da escultura será natural e a obra de concreto armado feita manualmente. 
O complicador serão as patas e sua fragilidade devido ao peso. 
Solução será acrescentar vegetação (de concreto) junto a elas. 
Acredito que, caso a obra seja realizada, será impactante.



Das vezes que acompanhei essa prática do tiro de laço que virou esporte tradicionalista, sempre me encantou a atenção do cavalo de saber acompanhar com distância exata o momento de o gaúcho laçar, se a rês é lenta ele diminui a passada, se ela sai em disparada ele chega junto e se o laçador faz sua parte com destreza que é laçar, daí fica um momento mágico de se ver. 
Não há agressão nesse esporte, pois o laço deve acertar as aspas do gado, depois da apresentação o laço é retirado. 
É no pialo(a pé) que acontecem algumas "judiarias", alguns "pranchaços cuiudos", o pialo no dia a dia do homem do campo faz parte, mas para apresentações não fica muito bem(pelo menos pro gado). 
No pealo o gaúcho deve jogar a armada na frente das patas dianteiras da rês e quando na cruzada em disparada as duas estiverem juntinhas dentro da armada é que o vivente puxa o laço, finca o garrão no chão, enquadra o corpo e espera o tirão. 
Isso é mais para terneiro, pois fazer num animal maior é pedir para se desnucar... 
Lembro certa feita quando numa castração de elefante(fazendinha minha na Africa) pialei um que fugia em disparada,  foi lindo de ver, segurei firme, nem perdi minha boina na hora do soco.
Lindo de ver era aquele ricos baguinhos queimando nas brasas...
Nem conto mais porque ninguém vai acreditar mesmo.

sábado, 12 de novembro de 2011

A Justiça em Etapas



Montagem das etapas construção escultura Justiça Missioneira, que será inaugurada junto com o novo Forum de São Luiz Gonzaga, dia 25 de novembro de 2011. 
A fumaceira é grande, mas é "na fumaça que se conhece os tauras..."

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Justiça em boas mãos





Nesta semana, o Fórum de São Luiz Gonzaga esta em processo de mudança.
Merecedora casa nova, com estrutura apropriada após décadas na antiga e apertada (outrora Banco do Brasil).
Novos ares. Novos horizontes.
Fruto da persistência (bela teimosia) do juiz de Direito Luís Antônio de Abreu Johnson, ex- diretor do Fórum.
Em pouco tempo, aquela parte esquecida da cidade prosperará assombrosamente.
A inauguração será dia 25 deste mês. E terei a honra de participar com uma escultura carregada de simbolismos.
Apesar do trabalho que toda mudança traz, nossos juízes tiveram tempo e vieram para ver o andamento da construção da escultura que enfeitará o novo Fórum: "Justiça Missioneira".
Recebi com alegria a visita deles, juntamente com o presidente da OAB local. 
Conscientes da importância de seu trabalho atuam em harmonia e naturalidade para o bom funcionamento do poder judiciário são-luizense.
Ficou a certeza de que a Justiça está em boas mãos!











Logo postarei fotos das etapas da escultura!

domingo, 30 de outubro de 2011

A Praça é Nossa- capítulo 02


De acordo com prometido acompanhamento da praça ao redor do Monumento ao Payador Jayme Caetano Braun, publico ao lado a assinatura do contrato para construção da praça.
A empresa ganhadora da licitação chama-se: Pedra Verde.
Desejo êxito  na construção dessa tão esperada obra!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

"A Praça é Nossa!"

Precisamos de praças!!

Para descansarmos de um mundo cada vez mais corrido. 

Refletirmos qual sentido da nossa vida. 

Para termos lazer...

Logo quero fazer tudo isso na Praça Monumento Jayme Caetano Braun.
Parece que tudo caminha para inaugurarmos ela em 30 de Janeiro de 2012...
A empresa que ganhou a licitação iniciará as obras em breve.
Abaixo reproduzo a planta da praça.
Acompanharemos passo a passo o nascimento desse bebê.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Aniversário em dia de Luto!

Hoje, data do 2º ano da inauguração do Monumento ao Payador Jayme Caetano Braun, faleceu o amigo e parceiro de Jayme, Sr. Salvador Chaloy Jara, em sua cidade Posadas/Missiones, Argentina. 
Morreu a fera do bandoneon
Nascido em 1931, Don Chaloy Jara, foi um dos mestres do nosso estilo missioneiro musical.
Tive a honra e grata alegria de receber visita dele, quando estava ainda construindo a estátua do poeta.
Chamou a atenção à vitalidade dele, não pareciam seus 78 anos (na época das fotos). 
Ultimamenta apesar de já saber que estava mal de saúde, fiquei surpreso com notícia da sua morte...
Clique aqui e veja matéria da visita: http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com/2008/11/o-mestre-do-bandolion.html. 
Ao rever as fotos daquele dia, descobri dois videos que filmei por acaso, onde seu Chaloy contava, descontraidamente, causos de vida dele com Jayme e com seu outro grande parceiro: Cenair Maicá. Um arquivo raro, descoberto por acaso...

 
Mas sobre a data de hoje, há noticias boas sobre a construção da praça ao redor do monumento! Depois de muita reza forte, o famoso fiscal da caixa federal veio, conferiu o local e aprovou liberação da verba. A prefeitura de São Luiz abriu edital de licitação para construção da praça, no dia 06 de outubro de 2011 o resultado do edital de licitação com nome da empresa que realizará essa obra, será divulgado a partir do dia 14 de outubro de 2011. O valor da emenda parlamentar da deputada federal Emíla Fernandes (PT/RS) é de R$100.000,00, somando com contrapartida da prefeitura o valor final é de R$113.990,00. 
Vamos torcer para que tudo dê certo e no mais tardar, dia 30 de Janeiro de 2012, dia do Pajador(data nascimento Jayme) estejamos inaugurando essa praça. Ela será um local de lazer, caminhadas, mateadas e de inspirações. Todo tradicionalista, mais cedo ou mais tarde deverá fazer uma visita a ela e prestar uma homenagem com sua presença, à figura maior da poesia crioula riograndense.

Para os apreciadores do mestre Pedro Ortaça, em anexo reproduzo vídeo inédito do dia da inauguração do Monumento, no qual ele fala com coração sobre aquele momento. Palavras que calaram fundo e muito me emocionaram e ainda me emocionam...
Mil grácias seu Pedro, Dona Rose e toda família Ortaça pela ajuda em todos os momentos!
 




Esse vídeo é parte das filmagens feitas pela Drª Araci Cunha.




segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Arde a Chama em nossos corações!

O que move essa multidão de homens, mulheres e crianças ao redor das nossas tradições?
O que faz com que as multidões compareçam para assistir aos eventos e permaneçam, apesar do intenso frio e forte vento, até o final?
O que mantém a ordem e a harmonia quase religiosa entre todos: multidão, cavalarianos e inclusive os cavalos?
Constatei com alegria, que muito mais do que cultuar o passado rico da nossa história é a união em si, no Presente, o que transforma esses momentos em algo mágico.
Neste último sábado, dia 20 de agosto de 2011, ocorreu a abertura dos festejos Farroupilhas na cidade de Taquara,RS.

Uma organizada e linda festa, com público aproximado de 10 mil pessoas e 3 mil cavalarianos de todo estado.
O evento teve patrocínio de empresas e grande apoio do poder público municipal.
Quando recebi o convite da Comissão Organizadora da Chama Crioula 2011 para confeccionar um símbolo para o evento, sabia da grande responsabilidade, pois sei da importância do evento para todos nós. Ele ultrapassou os limites das entidades tradicionalistas, ganhando a admiração do povo gaúcho.Senti-me honrado, com a realização desta obra, principalmente em se tratando de evento grandioso da cultura do nosso estado.
A oportunidade de realizar esta obra surgiu pela crescente divulgação de meus trabalhos entre o meio gauchesco. O Monumento ao Payador Jayme Caetano Braun e a escultura de Sepé Tiaraju são admirados por muitos tradicionalistas.
Para idealizar a escultura símbolo, associei simplesmente o nome do evento "Chama Crioula" com o nome da cidade "Taquara", imaginei uma taquara em chamas, iluminando caminhos.
A mesma taquara que antigamente por estes pagos foi lança e hoje é balaio, transformada em tocha e servindo de luz para todos nós.
Para dar mais impacto ao símbolo, acrescentei um braço forte (inspirado na escultura de Sepé Tiaraju) porém com camisa arremangada segurando a chama.
A escultura saiu fielmente ao desenho e a maquete.
Toda feita manualmente, em concreto armado; com 2,65 m de altura e 350 kg.
Foi realizada em dois meses de trabalho.





















No ato inaugural estava presente o sr. Alcy Cheuiche, uma pessoa que muito prezo. A sua obra literária sobre a vida de Sepé Tiarajú é fundamental para nós são-luizenses, ela conta com detalhes a vida do filho ilustre de São Luiz Gonzaga.
São Luiz Gonzaga e as Missões estavam representadas no lançamento oficial dos Festejos Farroupilhas de 2011 através do Coordenador da 3ª Região Tradicionalista Sr. Salvador Gomes, do cavalariano e gaiteiro Ademar da Rosa, do representante do Atelier de Artes los Libres Arno Schleder; de Cássius Ribeiro e deste escultor.
Fomos acompanhando a comitiva da cidade de Itaqui.
Juntamente com professor Arno e Cássius Ribeiro, nos hospedamos excelentemente na residencia do Coordenador do evento sr. Aécio Gampert e família. 
Fomos muito bem tratados, por todos. 
Ficou em nós, uma impressão positiva da cidade, que se preparou para o evento e dos amigos que lá fizemos.
A organização do evento é algo a parte. Após meses de trabalhos intensos, culminou com êxito o acendimento da Chama. Inúmeros detalhes, chamaram minha atenção: desde a decoração das lojas e suas vitrines, até a limpeza imediata das ruas por onde passaram os cavalos, feita pela atuante prefeitura.
Acredito que um dos segredos do sucesso deste evento foi o apoio fantástico recebido pela administração municipal de Taquara. Isso confirmado pelos integrantes da comissão.
Que sirva esse belo exemplo para todos administradores deste Rio Grande.
A força turística desse evento é enorme e surpreendentemente ainda não foi positivamente explorada nacionalmente.
Se o MTG, os cavalarianos, as pessoas que dedicam parte de sua vida nessas demonstrações de amor pelas tradições, soubessem a força que têm, saberiam reivindicar uma maior divulgação por parte da grande imprensa.
Isso aconteceu em Recife com o Frevo, em Parintins com a Festa do Boi e São Paulo com seus rodeios. Nem cito Rio de Janeiro e o carnaval.
Chegou a vez dos nossos tradicionalistas começarem a divulgar seus feitos a todo pulmão. Não basta apenas pensar, há que fazer e não basta fazer há que divulgar.
Seguindo as normas, cumprindo as regras, não há o risco de desvirtuarmos nossas tradições, alguns temem isso quando se fala em grande divulgação nacional. O mundo precisa saber da nossa história, não queremos o orgulho cego que diga aos golpes de peito:"Ela é a melhor!" ; pois sabemos respeitar as demais, mas queremos mostrar que a nossa é sim: Riquíssima!
Fica aqui meus sinceros agradecimentos á população hospitaleira da cidade de Taquara.











Visite o site do amigo Paulo de Freitas Mendonça e saiba mais sobre a sua preocupação com a difícil e rara arte da Pajada.
http://www.nativismo.com.br/paulodefreitasmendonca/

















Visite o blog do grande Léo Ribeiro, é indispensável para aqueles que cultuam nossas tradições gaúchas.

http://blogdoleoribeiro.blogspot.com/


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Acendimento Chama Crioula 2011 em Taquara




Todo ano, aqui no Rio Grande do Sul, no mês de setembro ocorrem as comemorações referentes à Revolução/Guerra Farroupilha*
O símbolo sagrado para todos os tradicionalistas é a Chama Crioula Farroupilha
É ao redor dela que todas as nossas tradições são cultuadas.
Ela possui em sua essência o poder de evocar em todos nós gaúchos, um sentimento de amor e admiração pelas nossas raízes, nossa história e cultura.
Cada ano uma cidade é escolhida (em votação feita pelos CTGs*) para sediar a chama. E para lá se dirigem os cavalarianos de todas as cidades deste estado para pegarem uma centelha dessa chama e repassarem às suas comunidades e desta forma dar início nas comemorações da semana Farroupilha. 
O desfile do dia 20 de Setembro é o ápice de todas as festividades, mas é a chama viva daquele fogo que aviva em todos nós o amor por este chão.
Grande honra para mim foi ter sido convidado para fazer uma escultura para a cidade de Taquara (cidade sede deste ano) representando essa Chama Crioula.
O processo de criação, foi muito lógico: Uma "taquara em chamas", acredito que todos teriam a mesma idéia, nada poderia ser mais representativo para um evento onde o nome é "Chama" Crioula na cidade de "Taquara"(nome de vegetação caracteristica do nosso estado, vegetação esta, muito usada pelos nossos índios; antigamente nas suas lanças, hoje em seus balaios.)
A princípio fiz apenas uma tocha de taquara em chamas, mas ví que algo faltava e descobri isso ao ver braço erguido da escultura minha de Sepé Tiaraju. 
Uma tocha sozinha não teria a força que o evento merece.
Então fiz desenho de braço forte segurando uma tocha em chamas de taquara. 
O desenho foi plenamente aprovado pela comissão responsável pelo evento "Chama Crioula 2011".
A escultura propriamente dita, consiste em um braço forte de concreto armado com 2,65 metros e 350 kg, segurando uma tocha de taquara em chamas, como que representando um sol iluminador.

Esclareço, quase que enfadonhamente, esse processo todo, para que não paire nenhuma dúvida de onde me inspirei.
Li um comentário da semelhança dela com a tocha da estátua da Liberdade.
Acho isso injusto, pois deveria então ser parecido com o Colosso de Rodes, pois foi dessa grande obra do escultor grego Cares, que o autor da estátua da Liberdade, o francês Frederic Bartholdi se baseou... Mas não me inspirei em uma nenhuma delas.
É que qualquer braço levantado e ainda mais com uma tocha, sempre remeterá a lembrança de uma ou de outra.
Abaixo reproduzo o comentário, que apesar de poucas palavras achei interessantíssimo, pois faz refletirmos sobre nossa própria história farroupilha. 
Mais abaixo ainda, minha resposta:

Comentário:

"achei estranho o monumento, o braço da estatua da liberdade? o que tem aver com nossas tradições?"
Silvio!
Minha resposta:
Saudações sr. Silvio!
Lí seu comentário sobre minha escultura da Chama Crioula, no site TCA e não consegui postar resposta...
A idéia do braço forte segurando a chama em uma taquara, foi inspirada em minha outra escultura, a que homenageia a Sepé Tiaraju e que está aqui em São Luiz Gonzaga.
Não foi inspirada na obra do francês Frederic Bartholdi(o que fez e presenteou os americanos com a estátua da Liberdade), Bartholdi sim, segundo ele próprio, se baseou no Colosso de Rodes, estátua monumental do escultor grego Cares.
Bartholdi e o grupo idealizador da estátua da Liberdade eram todos maçons e tinham como meta propagarem os ideais maçônicos de Liberdade, Igualdade e Fraternidade os mesmos ideais que nortearam Bento Gonçalves, Garibaldi e todos lideres farroupilhas, nossa história farrapa está cheia de simbolismos maçons, desde a bandeira até o hino.
Sua pergunta me fez refletir e ver sobre tudo isso, de que existe muita coisa em comum entre a Guerra Farroupilha e a estátua da Liberdade.
Mas não se preocupe pois não me inspirei nem no Colosso de Rodes, nem na Estátua da Liberdade, muito menos na Chama Símbolo de Volgrado(Ucrânia); a Chama Crioula de Taquara foi inspirada no filho ilustre de São Luiz Gonzaga chamado Sepé Tiaraju!
Outra obra minha é a homenagem ao também filho desta terra, chamado Jayme Caetano Braun ao qual tenho muita honra em ser seu primo 3º. Chama-se Monumento ao Payador, de seis metros de altura e convido a todos para conhecerem.
Visite meu blog e veja lá um pouco do meu trabalho: viniciusribeiroescultor.blogspot.com
Espero nos encontrarmos na inauguração da escultura no próximo dia 20, para conversarmos sobre esse fascinante tema.
Um forte abraço Missioneiro!
Vinícius Ribeiro-escultor




Logo farei postagem sobre a relação da estátua da Liberdade e a revolução farroupilha.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_dos_Farrapos

http://pt.wikipedia.org/wiki/Centro_de_Tradi%C3%A7%C3%B5es_Ga%C3%BAchas



terça-feira, 31 de maio de 2011

Genealogia da Justiça


"Ó tu que trabalhas com a lei!!(ou pra quem está meio enrolado com ela)"

Aqui te advirto:

Sabes qual o simbolismo da Deusa da Justiça?

O que significa sua imagem??

Devido ao fato de estar fazendo a escultura da nossa "Justiça Missioneira",que será colocada na entrada do novo Fórum, a ser inaugurado em setembro aqui em São Luiz Gonzaga, me aprofundei sobre a história da deusa da Justiça.
Sinto-me honrado com essa missão, principalmente por estar plenamente amparado pelo nosso Judiciário local e pela OAB-subseção SLG.

Reparto com os interessados o pouco que já sabia e o muito que descobri desta fascinante símbologia milenar.

A referência primordial que sei sobre a figura representando a justiça é egípcia e chama-se: Maet ou Maat, deusa que representava o equilibrio e a justiça para os egípcios; ela pesava em uma balança o coração do recém desencarnado. 
Num prato da balança colocava uma pena, no outro o coração do morto; quando a pluma equilibrava com o coração o réu ganhava o paraíso, pois era sinal de ter levado uma vida virtuosa, do contrário, quando o coração pesava mais que a pluma, significava uma vida de vícios e defeitos, era então comido por Ammit a divindade mais temida do antigo Egito, que com sua cabeça de crocodilo, devorava aos pecadores.
Para presidir esse julgamento, sempre estava presente a figura de Anúbis o grande juiz das almas.

Mas é na mitologia grega que a figura da justiça ganhou outras variações.
Sob forte influência egípcia, e de outros povos que para lá foram, a Grécia antiga moldou seus deuses. 
É a famosa Teogonia Grega
Ou seja, a formação dos deuses gregos, onde por essa genealogia se explicava a criação do mundo.
Antes de mais nada é bom entender que tudo são simbologias, onde os antigos gregos explicavam(muito antes da Bíblia) o princípio da criação; não se pode levar ao pé da letra...
E muitos historiadores apresentam versões diferentes sobre o tema.
Com relação a deusa da Justiça, toda história centraliza-se em:Têmis (a deusa dos juramentos, a protetora da ordem e da lei) e mais tarde sua filha Diké( a deusa da justiça para os gregos).
Comecemos então, a interessante e complexa teogonia grega, na parte que nos referimos:
No início existia o Caos
e dele, nascem Gaia, Tártaro(deus dos mundos inferiores), Eros (deus do amor), Érebo(deus do vácuo) e Nix (deusa da noite).
Gaia, a deusa da terra, gera por partogênese (reprodução assexuada): Urano(deus do céu), Ponto(deus do mar) e as Óreas (as montanhas).
Gaia e Urano geram os 12 Titãs: Oceano, Céos, Crio, Hiperião, Jápeto, Téia, Reia, Têmis(eis a nossa pioneira da Justiça), Mnemosine, Febe e Tétis; e depois nasceu Cronos, aquele que mais tarde castrou o próprio pai, Urano(tirano que odiava os filhos).
Foi devido a esse ódio de Urano aos filhos, que Gaia, tentando afastá-los do pai, enviava eles para longe, foi o que aconteceu com a nossa Têmis, Gaia enviou ela para ser cuidada pela sua irmã Nix, a deusa da noite, acontece que Nix estava cansada de ter gerado incessantemente filhos(uma caçambada) e reenviou Têmis, junto com Nêmesis(a então, mais recente filha de Nix) para serem educadas pelas Moiras(irmãs Cloto, Láquesis e Atropo), deusas do destino e filhas mais velhas de Nix. 
As deusas Moiras acabaram criando as primas Têmis e Nêmesis, e mais tarde, as Erínias( deusas também chamadas de: As tres fúrias). Eram elas: Tisífone (Castigo), Megera (Rancor) e Alecto (Interminável) essas três gurias "nasceram" do sangue de Urano quando castrado por Cronos e que salpicou em Gaia.
 
Mas voltando a Têmis e Nêmesis: O fato de serem educadas pelas Moiras foi determinante para elas, aprenderam sobre a ordem, o equilíbrio natural de tudo. 
As Moiras eram as deusas do destino, da vida e da morte, tanto dos deuses como dos homens, cada uma representava uma função: Cloto era a que fiava no tear chamado "A roda da fortuna" o fio da vida de cada um, Láquesis era a que determinava o comprimento do fio e Átropos era a que cortava o fio determinando o momento da morte de cada um. 
As quase irmãs, Têmis e Nêmesis além de muito belas, tiveram a mesma educação e tinham como mesmo símbolo a balança, mas cada uma apresentava suas diferenças: Têmis era a deusa da ordem, da ética e da prudência; já Nêmesis era a deusa da lei ao pé da letra, sem misericórdia, era vingativa contra o orgulho, arrogância e tudo aquilo que era contra a lei e a ordem, era implacável; até hoje o nome Nêmesis é sinônimo de pior inimigo
Um dos que ela aplicou uma lição foi em Narciso o bonitão, dizem que a muherada desesperada pelo fato de Narciso não dar a bola para elas, resolveram apelar para Nêmesis, ela enfeitiçou um lago onde ele se apaixonou pelo seu reflexo e definhou até morrer...
Têmis por sua vez era a defensora dos oprimidos, dos que precisavam de auxílio perante tribunais ou a lei. 
Ela falava aos homens através dos famosos oráculos, e o dela era o famoso Oráculo do Templo de Delfos, aquele onde diz no frontispício:  
“Te advirto, quem quer que sejas, oh tu! Que desejas sondar os mistérios da natureza.
Como esperas encontrar outras excelências se ignoras as excelências de tua própria casa?
Em ti está oculto o tesouro dos tesouros. Oh homem! Conhece-te a ti mesmo… e conhecerás o Universo e os deuses.”
A prudente e diplomática Têmis casou-se com Zeus, foi a segunda esposa dele e dizem por aí que foi ela a responsável pelo amadurecimento de Zeus, incutindo nele exemplos de harmonia, prudência e justiça, foi sempre a grande conselheira dele.
Com Zeus, Têmis teve várias filhas: As chamadas Horas(ou estações)as três primeiras chamavam-se, Irene (paz), Diké (eis a nossa herdeira da justiça) e Eumônia (disciplina)e as outras nove Horas, são as guardiãs da ordem natural, do ciclo anual de crescimento da vegetação e das estações climáticas anuais, são elas: Talo, Carpo, Auxo, Acme, Anatole, Disis, Dicéia, Eupória e Gimnásia.
A última filha de Têmis e Zeus chamava-se Astreia, era a deusa virgem da pureza e da inocência, que ensinava as coisas simples do cotidiano aos humanos, como a arte da caça, do cultivo do solo...Ela também herdou da mãe a balança como símbolo e muitos confundem ela como a deusa da justiça.
Mas foi Diké a verdadeira herdeira do símbolo da justiça para os gregos.
Nas antigas esculturas representando Têmis, ela estava sem vendas, pois tinha o dom da profecia e enxergava longe e não usava espada, pois ela representava o comum acordo
Já sua filha Diké, é representada com a mão direita sustentando uma espada em posição ativa (representando a força, a aplicação da lei), ou seja para cima, quase agressiva; na mão esquerda tinha uma balança de pratos, herança de sua mãe Têmis, representava a igualdade a ser alcançada, com o fiel da balança sem estar no meio, o fiel só iria para o meio após a realização da justiça, do ato julgado.
Ela sempre está descalça e com os olhos abertos ( numa alusão a busca pela verdade ou porque também tinha herdado o dom da profecia).






A atual figura que conhecemos da deusa da Justiça, é uma versão romana e tem toda diferenciação em seu simbolismo. Chama-se JUSTITIA
Usa vendas nos olhos, representação da justiça igual para todos, sem beneficiar ninguém, sendo imparcial, com igualdade de direitos para todo mundo. 
Nesta versão, o fiel da balança está bem no meio, simbolizando o equilíbrio a ser alcançado
A espada está para baixo, como que em descanso, sem ser agressiva ou assustadora, podendo ou não ser usada.
Vi algumas imagens dela com sandálias romanas.
De todas representações da deusa da justiça esta é a que melhor a representa, em termos de simbologias. 
Também me encanta, a figura diplomática e prudente de Thêmis.







Agora explicarei sobre a nossa: "Justiça Missioneira":
 
A ideia surgiu em 2009, após o presidente do Fórum da comarca de São Luiz Gonzaga: Juiz Luis Ântonio de Abreu Johnsons, solicitar-me uma das minhas estatuetas, da série:"Indias Missioneiras"(lindas por sinal, modéstia a parte) para regalar a magistrados superiores. 
Pensei em algo diferente e único, a fim de divulgar nossa terra, nossa rica história. Surgiu a "Justiça Missioneira".
Terá na sua mão esquerda a balança, com o fiel no centro; na mão direita a lança(ao invés da espada) em posição de espera, sem ser agressiva, mas não menos atenta.
Usará venda nos olhos, enfatizando dessa maneira a necessária imparcialidade.
Terá uma pena na cabeça, simbolo da primeira de todas as deusas da Justiça: Maat e da herança guarany. 
Vestirá o tipoy, roupa que as indias vestiam nas reduções missioneiras, e como lembrança de suas raizes, o atado nas pernas, chamado tetymakuá(feito do cabelo trançado da menina guarany após sua primeira menstruação).
No pescoço um colar com presas de jaguareté, demonstrando sua bravura.
Acredito que simbolizará muito bem a Justiça na nossa terra, pois representará a seriedade, a valentia e determinação de todos aqueles que nela trabalham. 
Ela será belamente fixada na entrada do novo Fórum da comarca de São luiz Gonzaga.
A escultura será de concreto armado, terá dois metros de altura e pesará mais ou menos 900 kg.








Logo começarei a publicar as fotos das etapas da construção.



obs: Pra quem está meio enroscado com a Lei, no dia 08 de Janeiro é a data comemorativa dela e nada melhor que acender um incenso de lavanda pra fazer uma média.
Tudo ajuda...